Comentário técnico sobre óleo Ascarel, PCB e sua renovação

A norma NBR 13882:2006, atualmente em uso, coloca como recomendação para a Supervisão e Manutenção do óleo mineral isolante em equipamentos elétricos, a medição da contaminação de Ascarel através de análise do Teor de PCB presente no óleo. Esta análise deve ser realizada de acordo com a norma NBR13882 e se o resultado exceder os limites estabelecidos (NBR 8371), devem ser tomadas medidas especiais de acordo com a mesma norma. Caso esteja dentro dos limites, este ensaio deve ser realizado sempre que houver risco de contaminação potencial (tratamento de óleo, reparos no transformador, etc).

A partir da determinação e conhecimento dos valores de PCB presente no óleo, a norma NBR8371 estabelece orientações para manuseio, acondicionamento, rotulagem, armazenamento, transporte, procedimentos para equipamentos em operação e destinação final (óleo contaminado, equipamentos contaminados, Ascarel).

A análise de Teor de PCB é realizada em pequena alíquota de óleo e poderá ser solicitada juntamente com o ensaio físico-químico quando da coleta para a realização deste.

Equipamentos fora de operação poderão apresentar diferença de resultados quando reanalisados em operação já que, este grupo de compostos apresenta melhor solubilidade no óleo a quente.

Empresas que possuem sistema de gestão ambiental têm que manter laudos destas análises em arquivos, pois poderá ser exigido em auditoria como documento que comprove a ausência de contaminação por Ascarel em sua planta.

A seguir algumas observações empregadas pela NBR8371 para equipamentos contaminados por PCB (teores entre 50 e 500mg/Kg)

Conforme definição da norma NBR 8371:2005 pág. 2 temos:

3.8- “equipamentos elétricos contaminados por PCB: Transformadores e capacitores cujo líquido isolante contenha teores superiores a 50mg/Kg de PCB e inferiores a 500 mg/Kg de PCB…”

NOTA: Estes equipamentos não são considerados como PCB para fins de manuseio, acondicionamento, transporte e manutenção, porém, ao serem descartados, devem estar de acordo conforme 4.11.

Procedimento para manutenção/ pág. 8

4.8.1- a) deve-se proceder à determinação do teor de PCB antes e após o manuseio de líquidos isolantes para identificar possíveis contaminações acidentais de líquidos não contaminados;

b) não devem ser misturados líquidos isolantes contaminados por teores diferentes de PCB, para evitar a diluição e o aumento da quantidade de material contaminado.

4.8.2- Os equipamentos cujo líquido isolante contenha teores superiores a 50mg/Kg, porém, inferiores a 500 mg/Kg de PCB devem, no que compete a esta norma, atender a todos os requisitos de 4.8.1 e ainda seguir as condições na manutenção descritas abaixo:

a) o acesso de pessoas não envolvidas diretamente no serviço deve ser restrito;

b) o local deve ser adequadamente ventilado;

c) as pessoas diretamente envolvidas no serviço devem utilizar EPI adequados, conforme 4.4.5;

“4.4.5 No contato direto com ascarel, deve-se usar óculos de segurança ou protetor facial, luvas de preferência de material impermeável (por exemplo polietileno), botas ou sapatos com solado sintético, roupas protetoras (avental não absorvente descartável) e máscara de proteção respiratória com filtro código B, para gases inorgânicos (conforme ABNT NBR 13696), acompanhado de pré-filtro para partículas. Não devem ser usados equipamentos de proteção individual (EPI) à base de borracha neoprene. Os EPI devem ser preservados para o manuseio exclusivo de PCB. As roupas contaminadas devem ser descartadas conforme 4.11.”

d) o solo, drenos, estruturas e instalações próximas devem ser protegidos por material impermeável, de forma a evitar contaminação;

e) devem ser elaborados planos de trabalho que incluam contenção de vazamentos, prevenção de acidentes e primeiros-socorros para o serviço.

4.8.5 Líquidos isolantes dentro de equipamento elétrico com teores de PCB superioes a 50mg/Kg podem ser recondicionados e/ou regenerados.

Após o encerramento do serviço os equipamentos utilizados para o trabalho devem ser descontaminados. Antes do novo trabalho deve ser comprovado, através de análises, que a descontaminação foi realizada com sucesso. A eficiência do serviço de descontaminação deve ser comprovada pela análise do óleo isolante residual nos equipamentos utilizados que devem apresentar um teor de PCB inferior a 50 mg/Kg, quando ensaiados conforme a ABNT NBR 13882.

Procedimento para destinação final: Pág. 12

“4.11.6 Transformadores e outros equipamentos elétricos que contenham líquidos contaminados com PCB

b) líquido isolante com concentração de PCB superior a 50mg/Kg e inferior a 500mg/Kg: A destinação final deve ser feita da seguinte forma:

– líquido isolante – Incineração ou a sua descontaminação conforme 4.11.1

– materiais sólidos (constituintes da carcaça e parte ativa, permeáveis e impermeáveis) – Não são considerados como resíduo e, portanto, não há restrições quanto à sua destinação final, no que compete a esta Norma;”

Os pontos descritos acima foram extraídos da Norma ABNT NBR 8371:2005.